sexta-feira, 28 de abril de 2017

CRIPTOZOOLOGIA

blog montado por
PAULO ANÍBAL G. MESQUITA
fone (11) 9 96792160  Twitter@pauloanibal
BLOG dedicado ao estudo das criaturas desconhecidas ou pouco estudado pela ciência

CRIPTOZOOLOGIA
Criptozoologia é o estudo de espécies animais incomuns, hipotéticas ou avistadas por poucas pessoas. Inclui também o estudo de ocorrências de animais presumivelmente extintos. A criptozoologia aborda ainda os seus tópicos de um ponto de vista antropológico, procurando relacionar os mitos de várias culturas com animais extintos ou desconhecidos. O termo foi cunhado sobre as expressões cripto- (do grego kryptós quer dizer "oculto") e zoologia (o ramo da Ciência que estuda os animais).
Abaixo, um dos exemplos de uma espécie que já era conhecida por relatos, mas só foi registrada viva através de imagens somente em 2004.

Macropinna microstoma é a única espécie de peixe inserida no género Macropinna, pertencente à família Opisthoproctidae. É reconhecida por uma rara e transparente cúpula na cabeça, preenchida de fluído, através da qual se podem visualizar as lentes dos olhos. Os olhos têm uma forma de barril e podem ser rodados para apontar para frente ou para cima, olhando através dessa mesma cúpula. O M. microstoma tem uma pequena boca e a maior parte do seu corpo é coberta de grandes escamas. Normalmente paira quase imóvel na água, a uma profundidade de cerca de 600 metros até 800 metros, usando as suas grandes barbatanas para a estabilidade e com os seus olhos apontados para cima. Em condições de pouca luz assume-se que o peixe detecta as presas pelas suas silhuetas. M. microstoma foi descoberto em 1939, por Chapman, mas nunca foi fotografado vivo até 2004. Desenhos antigos não mostram a cúpula transparente, já que a mesma é normalmente destruída quando o peixe é trazido das profundezas.
Abaixo, a lista de animais listados na CRIPTOZOOLOGIA:
° Ahool um morcego gigante que se acredita viver na Indonésia.
° Ameranthropoides - um mono que se acredita existir na América do Sul, o que pela ciência atual seria impossível. Talvez seja uma espécie de macaco da região que se assemelha a um mono devido à evolução paralela.
° Baleia de Giglioli - uma baleia com duas barbatanas dorsais.
° Besta de Busco - seria uma espécie monstruosamente grande de tartaruga aquática.
° Besta de Gevaudan - mamífero carnívoro estranho da França que dizem ser semelhante ao extinto Andrewsarchus.
° Bunyip - animal misterioso semelhante ao extinto Diprotodon que se acredita viver nos lagos da Austrália.
° Buru - lagarto gigante australiano, possivelmente parente do dragão de komodo.
° Cangurus "aliens" - animais semelhantes a cangurus, porém vistos na América do Norte, onde pelo que se sabe, não há nenhum canguru. Se existirem, são provavelmente parentes dos ratos-cangurus, roedores que habitam a região.
° Con rit - criatura gigante aquática que se acredita ser semelhante a um milípede. Caso exista, deve ser um crustáceo enorme e longo.
° Dobhar chu - mamífero aquático que se acredita ser semelhante a um crocodilo peludo. Talvez seja uma população de Pakicetus que escapou a extinção.
° Emela-ntouka - animal africano aquático que é descrito como uma estranha mistura de crocodilo com rinoceronte. Dizem que é herbívoro, mas que costuma matar elefantes.
° Gambo - mamífero marinho que se acredita ser semelhante a um golfinho peludo e com patas traseiras. Caso exista, deve ser um dos cetáceos mais primitivos já descobertos.
° Gato de chifres - um mamífero semelhante a um gato, porém com chifres na cabeça que se acredita viver na Indonésia. Se existir é a primeira espécie de mamífero carnívoro com chifres já descoberta.
° Golfinho Rinoceronte - uma espécie de golfinho com duas barbatanas dorsais.
° Jasconius - um peixe gigante do tamanho de uma ilha.
° Kraken - uma lula-colossal que seria tão grande capaz de afundar um navio com os próprios tentáculos.
° Kongamato - animal voador africano que antes se acreditava ser um pterossauro. Hoje acredita-se que se existir é mais provavelmente uma espécie gigante de morcego.
° Lagarto peludo - acredita-se ser uma espécie de lagarto que possui de alguma maneira pelos, ou estruturas semelhantes a pelos. Talvez seja um mamífero muito primitivo e semelhante a um lagarto.
° Lusca - um monstro marinho que muitos acredita ser uma espécie de polvo-gigante.
° Mapinguari - mamífero bípede sul-americano que se acredita ser uma população sobrevivente de preguiças gigantes. Talvez uma variação de Eremotherium.
° Minhocão - animal sul-americano que se acredita ser uma minhoca ou outro verme (talvez um anfíbio) de tamanho gigantesco que vive no subterrâneo.
° Mokele-mbembe - animal africano de pescoço longo que se acredita ser semelhante aos extintos saurópodes.
° Monstros do lago - são criaturas com pescoço longo e corpo de tartaruga, semelhantes aos extintos plesiossauros. Se existirem, podem ser tartarugas gigantes, um tipo se foca com pescoço longo, ou algo completamente diferente de tudo que conhecemos.
° Serpente do mar - animais gigantes de corpo alongado que se acredita viverem nos oceanos do mundo inteiro. São provavelmente os cryptids mais conhecidos e muitas teorias já foram criadas para explicar o que eles são, entre elas: mosassauros que escaparam da extinção, cobras marinhas gigantes, enguias gigantes, uma espécie de mamífero marinho alongado parente das baleias ou talvez das focas.
° Shunka warakin - animal norte-americano que dizem ser semelhante a uma hiena.
° Tatzelwurun - animal estranho, semelhante a um grande lagarto que possui as pernas dianteiras mas não as traseiras. Alguns acreditam ser um anfíbio.
° Tigre de Queensland - marsupial carnívoro semelhante a um tigre que se acredita viver em Queensland, na Austrália.
° Trunko - um animal marinho com tromba de elefante, rabo de lagosta e pele branca. Alguns acreditam ser uma carcassa de baleia, outros acham ser uma nova espécie de baleia.
° Urso nandi - mamífero semelhante a um urso, porém que vive na África, onde pelo que se sabe não existe nenhum tipo de urso. Talvez seja uma nova espécie de babuíno ou de hiena.
° Verme da Mongólia - animal que se acredita viver no deserto de Gobi, na Mongólia. Dizem que é semelhante a um verme, porém maior e muito venenoso.
° Waheela - mamífero carnívoro semelhante a uma mistura de lobo com urso que se acredita viver no Canadá. Se existir pode ser da família dos extintos cães-ursos.
° Waitoreke - mamífero aquatico pequeno semelhante a uma lontra que já foi avistado na Nova Zelândia, onde pelo que sabemos, não existem mamíferos nativos em nenhuma das ilhas.
° Yeti mamífero que se acredita viver nas montanhas do Tibete e que se assemelha a uma mistura de primata com urso. Hoje em dia pouquíssimas pessoas acreditam que seja real.
° Zamba zaraa - se acredita ser semelhante a um ouriço de cauda longa, porém capaz de inflar o corpo como um baiacu. Vive no deserto de Gobi, na Mongólia.
° Zuiyo Maru - uma criatura marinha estranha. Alguns acreditam se um Plesiossauro, ou um tubarão.
Animais de existência confirmada:
° Celacanto - peixe pré-histórico que vive nos mares africanos.
° Dragão de Komodo - lagarto gigante que vive na Indonésia.
° Gorila - primata negro gigante da África.
° Lula-gigante - Maior invertebrado existente na Terra.
° Okapi - animal da selva africana que é parente da girafa, mas com pescoço curto e listras como uma zebra.
° Ornitorrinco - mamífero aquático esquisito da Austrália. Possui um bico e bota ovos.
° Moa - ave extinta que habitava regiões da Nova Zelândia. Desprovida de asas, ela chega a medir cerca de 3 metros de altura.
Animais de existência negada:
°Chupacabras - animal bípede que sugaria o sangue de animais domésticos.
° Jackalope - seria uma espécie de lebre com chifres de antílope que viveria na California.
° Monstro de Canvey Island - animal marinho misterioso semelhante a um peixe abissal que pode andar em terra firme.
° Pé-grande - primata gigante e bípede. Há vários relatos de americanos e canadenses que alegam tê-lo visto em regiões na fronteira entre os dois países.
° Tayoba - Monstro horrendo com forma humana e com a cabeça em forma de tomate.
*Fonte: Wickpedia
==========================================================

CELACANTO




Os celacantos são peixes muito especiais e, quando foram descobertos, foram considerados fósseis vivos. A sua característica mais importante é a presença de barbatanas pares (peitorais e pélvicas) cujas bases são pedúnculos que se assemelham aos membros dos vertebrados terrestres e se movem da mesma maneira. O Celacanto era considerado extinto até que o primeiro espécimen vivo foi encontrado na costa leste da África do Sul, em 25 de dezembro de 1938. Nesta época, já se conheciam cerca de 120 espécies de Coelacanthiformes que eram considerados fósseis indicadores, ou seja, indicando a idade da rocha onde tinham sido encontrados. Todos esses peixes se encontravam extintos desde o período Cretáceo.Atualmente, já se conhecem populações destes peixes na costa oriental da África do Sul, ilhas Comores (no Canal de Moçambique, também no Oceano Índico ocidental) e na Indonésia e decorre um programa de investigação internacional com o objectivo de aumentar o conhecimento sobre os celacantos, o South African Coelacanth Conservation and Genome Resource Programme (Programa Sul-Africano para a Conservação e Conhecimento do Genoma do Celacanto.

MACROPINNA MICROSTOMA - Peixe cabeça de Vidro. Abissal



TILACINO



O tilacino (Thylacinus cynocephalus), comumente conhecido como lobo-da-tasmânia ou tigre-da-tasmânia, foi o maior marsupial carnívoro dos tempos modernos. Nativo da Austrália e Nova Guiné, acredita-se que se tornou extinto no século XX. Os tilacinos foram extintos da Austrália continental milhares de anos antes da colonização europeia do continente, mas sobreviveu na ilha da Tasmânia junto com diversas espécies endêmicas, incluindo o diabo-da-tasmânia. A caça intensiva encorajada por recompensas por os considerarem uma ameaça aos rebanhos é geralmente culpada por sua extinção, mas outros fatores que contribuíram podem ter sido doenças, a introdução dos cães e do homem em seu habitat. O último registo visual conhecido ocorreu em 1932 e o último exemplar morreu no Zoológico de Hobart em 7 de Setembro de 1936. Apesar de ser oficialmente classificado como extinto, relatos de encontros ainda são reportados. Descrição: tilacino lembrava um cachorro grande com pelo curto e um rabo firme que suavemente se estendia do corpo de certa forma similar àquele de um canguru. Sua cobertura amarelo-marrom apresentava 13 a 21 listras escuras distintas pelas suas costas, traseira e a base de seu rabo, o que conferiu ao animal o apelido de "Tigre". O tilacino adulto tinha comprimento de 100 a 130 cm, mais uma cauda de cerca de 50 a 65.O maior espécime medido tinha 290 cm do nariz à cauda.Adultos possuíam uma altura de 60 cm no ombro e pesavam de 20 a 30 kg. O tilacino era capaz de abrir suas mandíbulas a uma extensão incomum: até 120 graus. os tilacinos tinham uma pata traseira muito larga e quatro dedos frontais óbvios, arranjados em uma linha quase reta.As patas traseiras eram similares às patas frontais, mas tinham quatro dedos ao invés de cinco. Suas garras eram não-retraíveis.O tilacino era um dos dois únicos marsupiais a ter um marsúpio em ambos os sexos (o outro é a cuíca-d'água). O macho tinha uma bolsa que agia como um revestimento protetor, protegendo os órgãos externos do macho enquanto ele corria através de mata fechada. Apesar do tilacino ser considerado extinto, muitos acreditam que o animal ainda existe. A Associação de Pesquisa de Fauna Australiana Rara registrou 3800 aparições em arquivo na Austrália continental desde a data de extinção em 1936, enquanto o Centro de Pesquisa Animal Misterioso da Austrália registrou 138 até 1998, e o Departamento de Conservação e Gerenciamento de Terras registrou 65 na Austrália Ocidental no mesmo período.

VERME GIGANTE da MONGÓLIA










O verme-da-mongólia, também chamado de allghoi, orghoi ou khorkhoi (хорхой) é uma criatura venenosa de existência não provada que habitaria o deserto de Gobi, na Mongólia. Há vários relatos de nômades do deserto durante muitos anos sobre este verme gigante. Supostamente, o verme-da-mongólia teria até 1,50 m, com o corpo inteiramente vermelho, seria altamente agressivo e liberaria um veneno amarelo muito forte. O verme supostamente teria um corpo com muitos espinhos e poderia descarregar descargas elétricas porém bem fracas, mais fracas que as das enguias elétricas.Ivan Mackerle, um explorador da Checoslováquia tentou fazer com que o verme viesse à superfície usando explosivos, mas não teve sucesso.

LOBISOMEN
Muitos contos lendários envolvem aspectos humanos e animais no mesmo personagem , como por exemplo os "lobisomens", que são relatados em diversos países ao longo da história humana, principalmente à partir do fim da idade média. Só na França, entre os anos de 1520 e 1630, relataram-se 30.000 casos, talvez o mais famoso seja o caso de Pierre Bourgot, um pastor que foi julgado em 1521 por uma série de assassinatos brutais de mulheres jovens , onde o mesmo declarou que se auto-transformava em lobo. Em 1573, uma aldeia francesa nas proximidades de Dôle foi "palco de terror" das atrocidades de um grande lobo que matou e devorou parcialmente dezenas de crianças, constatou-se que o mesmo animal tinha uma enorme semelhança facial com uma pessoa chamada Gilles Garnier, sendo preso o mesmo confessou um pacto que fizera com um espírito maligno da floresta onde lhe dera um líquido que, aplicado ao corpo, transformava-o em um lobo. Após o julgamento foi queimado vivo. Na região norte e nordeste brasileiro há muitas lendas envolvendo esse personagem em noites de luas cheia, marcante no folclore, inclusive com ataques à seres humanos; mas uma pequena cidade do interior do estado de São Paulo, Joanópolis , possui tradição nos relatos de lobisomens. Uma doença genética pode ser à responsável pela à origem dos lobisomens, a Hipertricose, que causa um crescimento anormal e exagerado por todo corpo de uma pessoa conferindo-lhe um aspecto animalesco e assustador . É sabido que até mesmo uma outra doença chamada de Licantropia seja à explicação psicológica da manifestação do mito, mas na realidade é uma doença mental e sob ação de drogas alucinógenas fazia seu usuário acreditar que podia mudar de forma, isso associado à vontade sádica de ingerir carne e de beber sangue , transformava essa pessoa em um monstro assassino. Só à nível de curiosidade, no sertão nordestino há à lenda do Labatut, um ser de andar bípede da altura de um homem, extremamente peludo, cabelos longos, pés arredondados, mãos compridas com garras, com apenas um olho na região da testa ( ciclópico), audição apurada e presa enormes é considerado um "tipo" pior que o próprio lobisomem, de ação noturna e extremamente esfomeado atacando qualquer possível presa, inclusive o ser humano.Aos lobos tem sobrado a fama de mal, mas apenas são mamíferos da mesma "família" biológica dos cachorros, onde alguns dos quais já foram extintos pelo o homem recentemente, como o "Lobo da Tasmânia" neste século

CHUPA-CABRAS

Talvez seja o arquétipo atual que mais conquistou destaque da mídia. O nome chupa-cabras originou-se em Porto Rico, no ano de 1995,onde uma série de mutilações em animais ocorreram, que vão desde um furo na vítima até extração de todo seu sangue e de alguns órgãos. O primeiro a denunciar publicamente esses fatos foi o jornalista porto-riquenho Arnaldo Garcia, de uma rádio na cidade de Orocovis, onde o mesmo deu o nome de chupa-cabras porque à maioria das vítimas eram cabras.As mesmas, após serem atacadas fatalmente, apresentavam perfurações circulares, por eram extraído o seu sangue e alguns órgãos internos. As testemunhas relataram que essa estranha criatura possuía estatura de até 1,5 m , andar bípede, com duas patas traseiras bem desenvolvidas e, como o resto do corpo, extremamente peludo, com olhos grandes avermelhados, dois pequenos braços com enormes garras nos dedos e com saliências pontiagudas nas costas, inclusive essa mesma descrição é muito semelhante em outros países, no Brasil, foi à partir de junho de 1996 é que houve à primeira descrição por um lenhador da cidade de Passos(MG) de um ataque com um ser das mesmas características de Porto Rico. Mas bem antes de 1995, em Porto Rico ocorreram fatos estranhos de mutilações em animais como ovelhas, vacas, cabras, cachorros e aves no ano de 1975 com as mesmas características dos atuais chupa cabras, que ficou conhecido como o Vampiro de Moca. Também há formas descritas de seres semelhantes na casuística ufológica, onde o termo I.E.A.(Intruso Esporádico Agressivo) foi utilizado por alguns pesquisadores como referência ao fato, principalmente na década de 70, na Venezuela e na Argentina, onde criaturas peludas de olhos vermelhos e com garras que, segundo testemunhas, depois de saírem dos seus óvnis, demonstraram um comportamento de alta agressividade e em seguida retornavam aos mesmos. Nesta mesma década há um grande número de mutilações em animais do campo no meio oeste dos Estados Unidos, sendo que o primeiro caso famoso foi em 07 de setembro de 1967, numa fazenda no Vale de São Luiz, em Denver(Colorado-USA), onde uma égua chamada Lady da raça Appaloosa, desapareceu enquanto pastava. Ela só foi encontrada dois dias depois, descarnada do pescoço para cima, com ausência total do sangue e de vários órgãos, ficando o restanto do seu corpo intacto. Os cortes presentes lembravam atuação de instrumentação cirúrgica seguida de cauterização que lembram os atuais lasers. No Brasil, foi no ano de 1997 no interior dos estados do Paraná e São Paulo, um grande números de relatos foram divulgados pela mídia ganhando grande destaque. Pessoalmente, foi também à partir deste ano que passei à investigar os casos associados ao chupa-cabras, mas na maioria dos casos investigados conseguimos encontrar indícios que poderiam ser atribuídos à predadores silvestres como por ex. à onça, atribuídos ao exageros dos fatos associados à equívocos e precipitações, principalmente de sitiantes em torno do sensacionalismo pela mídia, até mesmo por rituais macabros por seitas e fraudes.
No entanto, há poucos casos que realmente as circunstâncias dos ataques são muito estranhas, onde podemos atribuir ao suposto chupa-cabras, ente eles, o caso de Cesário Lange(outubro de 1999), na fazenda Nova Esperança, onde alguns animais, como ovelhas e cabras foram mortas e tiveram o sangue sugados, aparentemente por um ferimento circular no pescoço. Inclusive tive a oportunidade de presenciar no início do ano 2000, na região amazônica, uma onça também com um ferimento circular na altura do pescoço no lado esquerdo, após um ataque de um estranho ser durante à noite segundo o relato de uma testemunha; a mesma estava muito abatida e se movia muito pouco, mas estava viva e consciente; até em aves ocorreram ferimentos circulares supostamente atruibuídos à estranhos predadores, como o caso ocorrido em 2001, na região de S. Pedro, interior do estado de São Paulo, onde as aves apareceram mortas com ferimentos circulares que atravessavam o pescoço, como indica à seta na foto. Será que o chupa-cabras poderia ser num animal que sofreu modificações genéticas que propiciaram ter esse tipo de hábito alimentar? Será que pode ser um animal ainda não catalogado pela ciência? Por que a imensa maioria das vítimas são fêmeas? Será que tem algo a ver à nível hormonal? Alguns autores defendem à tese que poderiam ser de origem extraterrestre, mas pessoalmente acho precipitado tal tese, pois há necessidade de evidências conclusivas. A possibilidade de ser um animal mutante é viável se levarmos em consideração à grande variabilidade genética de organismos vivos, é muito provável que o chupa-cabras tenha um órgão especializado para realizar hematofagia( alimentar-se de sangue),talvez uma estrutura cilíndrica na boca como uma "tromba" ou algo semelhante à um tubo ou rostro que pode ficar retraído por onde captaria sangue; baseio-me em alguns insetos, como por ex. à barata d'água (Lethocerus sp) que chega à ter mais de 10 cm de comprimento e suga sangue de rãs e pequenos peixes através de numa tromba curta e forte, trata-se de um inseto belostomídeo do grupo dos hemípteros( percevejos). Não quero dizer que o chupa-cabras seje um inseto gigante, apenas estamos comparando as circunstâncias encontradas dos ataques, pois as formas são semelhantes, respeitando-se as devidas proporções; se existir esse ser, há possibilidade de ser um mamíferos, pois em praticamente todos os relatos, o estranho ser possui longos pêlos no corpo, sendo os pêlos uma característica típica do grupo dos mamíferos, inclusive possuímos algumas amostras de pêlos atribuídos ao suposto chupa-cabras que enfrentou alguns cães de uma fazenda no interior do estado de São Paulo, são relativamente grossos e escuros, possuindo estruturas semelhantes à espículas encurvadas ao longo do pêlo, o que certamente explicaria seu aspecto áspero, desconheço essa característica nos pelos comumente encontrados nos felino e nos canídeos; mas como não conseguimos nenhum pêlo com à "raíz" celular não há como nem se quer fazer fazer investigação pelo o DNA. Infelizmente não temos ainda provas cabais da existência do chupa-cabras, pois as que temos não passam de indícios inconclusivos.


VAMPIROS




Uma das mais antigas lendas sobre Mortos vivos à custa do sangue dos vivos que dormem dentro de caixões com terra do lugar de onde nasceram, com capacidade de transformar-se em morcego , não possuem reflexo nos espelhos e nem aparecem nas fotografias. Possuem ódio mortal da cruz, do alho , da água benta e da luz solar, uma estaca de madeira fincada no coração é fatal. Há forte conteúdo psicológico, sexual e de perversão , cujas histórias inundam à imaginação que se tornou grande objeto cinematográfico, há contos de vampirismo desde 125 dC. Drácula, maior arquétipo dos vampiros, na verdade foi publicado em 1897 por Bram Stoker, se baseou na história de Vlad Basarab, nascido em 1430, na Transilvânia, tornou-se príncipe da Valáquia(Romênia) de 1456 à 1468 e seu pai era o príncipe Dracul. Vlad venceu muitas batalhas contra os turcos e subjulgava seus inimigos e prisioneiros de guerra de maneira muito violenta, que tornou-o conhecido como Vlad, o empalador, devido ao fato de espetar pelo ânus suas vítimas em estacas e deixar pendurado. Mas antes, gostava de assistir a lenta morte de seus inimigos, inclusive cortava-lhes as mãos e os pés para ver o sangue escorrer e fervia as cabeças. Apesar de na idade média o vampiro ser visto como um morto-vivo que se parecia com o lobisomem, Drácula era um aristocrata de classe de forte simbolismo erótico que também possui sua versão feminina, a Camilla, a mulher do vampiro criada pelo o irlandês Sheridan Lê Fanu, uma personagem muito sedutora que foi inspirada na condessa húngara Elizabeth Bathory, que freqüentava as cortes de Viena(Áustria) no fim do século XVI. Para conservar sua beleza, tomava banho todas as noites com sangue de uma virgem, que era sacrificada para isso. A condessa também gostava de beber muito sangue e foi presa pelo próprio primo no castelo de Csejth e posteriormente executada.Na literatura, no romantismo, poetas como Byron, Teóphile Gautier e Novalis escreveram bastante sobre o vampirismo, mas foi no cinema é que o vampirismo atingiu seu apogeu, como por exemplo ¿Nosferatu¿,em 1921, de Frederich W. Murnau, onde profetizou à ascensão do nazismo ao mostrar a invasão da Alemanha por Drácula com seu ratos disseminadores da peste. Só em 1931, conde Drácula surge pela primeira vez nas telas do cinema com esse título, num filme da Universal, dirigido por Tod Browning e estrelado por Bela Lugosi. Esse autor se destacou e se especializou tanto na representação de Drácula que acabou internado num hospício, acreditando ser um vampiro e tentava morder os pescoços de todas as pessoas que se aproximavam dele. E o cinema imortalizou o vampiro no inconsciente coletivo, até viraram heróis em quadrinhos como o Batman e Vampirella.Tudo isso associado à uma rara doença genética chamada de Protoporfíria Eritropoiética, que é uma alteração dos pigmentos da pele decorrentes de uma produção excessiva de protoporfirina , causando sintomas como forte plurido, edemas, fissuras hemorrágicas na pele após exposição da luz solar e cor da pele extremamente pálida, por isso só saíam durante à noite, imortalizou à lenda do Vampiro, inclusive imortalizando o morcego como sua forma alada. O morcego é um mamífero muito importante para à manutenção das florestas por realizar à disseminação de polens e sementes, inclusive é muito importante no controle biológico dos insetos. O Brasil possui mais de cem espécies diferentes de morcegos, sendo somente 3 espécies hematófagas , ou seja, se alimentam de sangue, sendo o mais importante é o Desmodus rotundus , pois é o transmissor da raiva no campo devido ao fato de sugar sangue de mamíferos como os bois , cavalos,entre outros. Sua mordida é praticamente indolor e sua saliva possui uma substância anticoagulante que não deixa ¿secar¿o sangue nos pequenos orifícios deixados pelos dois dentes pontiagudos e assim eles sugam/lambem o sangue.Então, bem diferente da lenda tradicional dos vampiros e da forma de ataque dos chupa-cabras.Os morcegos são inocentes.

 
blog montado por
PAULO ANÍBAL G. MESQUITA
fone (11) 9 96792160  Twitter@pauloanibal
BLOG dedicado ao estudo das criaturas desconhecidas ou pouco estudado pela ciência

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Serpentes & Lulas Gigantes

As serpentes gigantes estão entre as lendas muito difundidas pelos os índios brasileiros, em ambos podemos detecnar na natureza à existência de animais que poderiam ter inspirado à imaginação, mas mesmo assim encontramos fatos misteriosos. Um caso conhecido foi em 30 de novembro de 1861, a tripulação da corveta francesa (Alecton), que seguia de Cádis para Tenerife, tentaram capturar uma lula cujos tentáculos mediam quase dois metros de comprimento e seu corpo mais de cinco metros, onde travaram uma luta. Mas a Academia de Ciências da França, na época, concluiu que as testemunhas haviam sofrido uma alucinação coletiva; estavam totalmente errados, pois essa lula realmente existe nas profundezas oceânicas. Há referências de relatos de criaturas bem maiores em 1800 por pescadores escandinavos, na famosa obra de Júlio Vener, "Vinte Mil Léguas Submarinas", cita-se um ataque da lula gigante no submarino do capitão Nemo. Três pescadores relataram em 02 de novembro de 1978, uma enorme lula na região de Terra Nova (CA), cujo o corpo tinha 6 mts de comprimento e tentáculos com quase 11 metros cujas ventosas possuíam cerca de 10 cm de diâmetro, mas há referências por parte de navios baleeiros que relataram cachalotes(inimigo natural desta lula) capturadas com cicatrizes de ventosas com quase 50 cm de diâmetro, sugerindo à existência de lulas ainda maiores, com mais de 40 metros( Será?).O maior exemplar já documentado, foi um achado numa praia da Nova Zelândia em 1880, com 20 metros de comprimento e aproximadamente 1 tonelada. Na realidade essa lula é um molusco do gênero Architeuthis (classe cefalopoda), que detém atualmente o ¿record¿ de ser o maior invertebrado vivente no planeta, que também possui o maior órgão de visão(olho) do reino animal, chegando a mais de 25 cm de diâmetro, com córnea, cristalino,câmara anterior-posterior e retina com bastonetes.Então, pode formar uma imagem real e nítida. Pouco se conhece do comportamento deste fascinante animal e talvez só apareça na superfície quando esta para se desfalecer. Parece que há muitas confusões entre os mitos da lula gigante e as supostas serpentes gigantes marinhas, em julho de 1734, o norueguês Hans Egede, durante uma viagem de navio até a colônia da Boa Esperança(Groenlândia), descreve um ser marinho que se elevou acima dos mastros da embarcação com um ¿focinho¿ comprido e barbatanas largas. Entre as lendas que envolvem as serpentes marinhas, a mais terrível era o "Kraken", citado na publicação de Erick Pon Toppidan, "História Natural da Noruega", em 1755, com dezenas de metros de comprimento. Um relato publicado na "Illustraded London News", em 20 de novembro de 1875, o comandante Drevar, do navio "Pauline", descreve uma luta mortal entre uma serpente e uma baleia cachalote em algum ponto da costa brasileira. Será que era uma serpente mesmo? Muitas lendas envolvem as serpentes gigantescas marinhas e também terrestres, em 1608, o inglês Edward Topsell, no seu livro "Historie of Serpents" descrevia um "dragão" que se enrolava em volta da sua presa, na verdade é uma citação da cobra Píton Real ( Python reticulatus) que chega à mais de 10 metros na Ásia. O próprio Aristóteles, no século IV a.C. , no livro "Historia Animalium" fazia citação das grandes serpentes terrestres. No continente sul americano (Amazônia) é o habitat das Anacondas ou Sucuris (Eunetes murinus) que chegam à 10 mts de comprimento, mas há relatos indígenas e de garimpeiros de cobras com dimensões maiores.Em 1935, homens da Comissão Brasileiro-Colombiana de Limites relataram uma Sucuri de aproximadamente 35 metros, 80 cm de diâmetro e quase 5 toneladas e em 1722, José Aranha, no rio Madeira citou uma Sucuri de 40 passos(~32 mts). Provavelmente as Sucuris tenham originado à lenda de "Boiguaçú" ou ¿Boiúna¿, que se refere à cobra grande nos rios e nas matas que supostamente assusta as pessoas nas proximidades dos rios principalmente durante à noite. Também à noite fala-se da lenda do "Boitatá" ou Cobra-de-fogo, uma grande serpente negra com olhos esbugalados e luminosos que voa perseguindo os desavisados nas matas soltando fogo, há quem associe isso com fatos ufológicos.